Cartão Amarelo!!! Gleison Begalli fala sobre os Jogos Regionais e Abertos

Postado [0DD] de [MM2], [YYYY]|10/02/2020 00:00:00

Resultado de imagem para cartão amarelo

 

O meio esportivo paulista foi surpreendido, nos últimos dias, com a mudança do regulamento de uma das mais tradicionais provas do calendário oficial do Estado, Jogos Regionais e Abertos, onde fora suprimidas as categorias por idade de quase todas as modalidades, além dos atletas com deficiência.
Nem tão amadores como são conhecidos os “Jogos”, pois reúnem competidores de renome do cenário nacional e internacional das mais variadas modalidades, esperava-se dos dirigentes o mesmo profissionalismo que os integrantes de campo demonstram na hábil prática esportiva que representam.
Tais mudanças já terão efeito imediato e muitas equipes, já constituídas, estavam com os treinamentos em andamento, preparando-se para essas disputas. Seria, no mínimo razoável, que tais alterações fossem comunicadas com, no mínimo, uma no de antecedência.
Em Catanduva, por exemplo, já temos várias modalidades que haviam realizado seletivas, peneiras e trabalhando para fazerem o melhor possível pela cidade nas categorias que, repentinamente, foram retiradas. Certamente é o retrato de muitas cidades do Estado.
Esse seria o momento perfeito para o Governo divulgar as mudanças que, no próximo calendário esportivo (2021), seriam implementadas. Demonstraria respeito e, sobretudo, disciplina e organização, predicados inerentes aos esportistas, mas que se encaixam perfeitamente nas boas práticas de gestão.
Não entramos sequer no mérito de se fazer uma discussão mais ampla, convidando os técnicos e esportistas para o debate, expondo as necessidades do Estado e ouvindo quem está, há anos, fazendo do esporte uma realidade.
Aos gestores esportivos do Estado de São Paulo, que alteram regras que afetam diretamente a vida de tantas pessoas, cartão amarelo, ato simbólico que representa o pensamento de milhares de atletas que subitamente terão que, ou deixar de participar dos jogos ou, reorganizarem-se para eventos paralelos.

 

Escrito por:

Gleison Begalli
Professor do Colégio São Mateus e Cursilhista
Presidente do Clube de Xadrez e do Rotary Norte